Metaverso e ESG – A evolução da tecnologia x Sustentabilidade

Em outubro de 2021, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou seus planos de transformar seus negócios em uma empresa do metaverso. Independentemente do que se pensa sobre os esforços do Facebook, uma questão-chave é: quão justo o metaverso pode se tornar? 

A discussão sobre o futuro digital deve ocorrer com um olhar de responsabilidade. Muito dos recursos financeiros de Governança, Social e Meio Ambiente (ESG), vai para empresas de tecnologia. Os 20 maiores fundos ESG do mundo (Microsoft, Alphabet, Apple, Meta ou NDIVIA, por exemplo) juntos somam US$ 340 bilhões, e estão entre as principais participações.   

O metaverso não é uma invenção do Facebook. O termo é bem conhecido na ficção científica e, dependendo de quem o está usando, refere-se a diferentes visões de uma internet futura em que um mundo digital é construído para complementar o mundo físico. 

Neste post, vamos conhecer mais sobre o metaverso e sua relação com a sustentabilidade. 

O que é o Metaverso?

O conceito de metaverso não é novo, ele foi descrito pela primeira vez em 1992, no romance Snow Crash. Mais tarde, várias empresas desenvolveram comunidades online baseadas no conceito, mais notavelmente o Second Life, lançado em 2003.  

No metaverso, as pessoas usam avatares para se representar, se comunicar e, virtualmente, construir a comunidade. Neste “mundo”, a moeda digital é usada para comprar roupas – ou armas e escudos no caso de videogames – e muitos outros itens. Os usuários também podem viajar virtualmente pelo metaverso para se divertir sem nenhum objetivo em mente usando um headset e controladores de realidade virtual.  

O metaverso também foi chamado de “internet dos corpos”. Isso significa que o uso da internet não ficará mais dependente de smartphones, por exemplo, mas será possível acessá-la usando o próprio corpo. 

Os primeiros vislumbres dessa tendência foram mostrados por aplicativos de mapeamento como o Google Maps, que introduziram uma nova dimensão além do mundo físico. No futuro, a navegação pode ser possível sem uma interface de usuário semelhante a um smartphone, mas com óculos de realidade virtual (VR). 

Como surge a discussão do Metaverso do ponto de vista da responsabilidade?

O futuro é construído sobre as escolhas feitas hoje. Ao planejar a próxima fase da internet, é importante discutir responsabilidade e sustentabilidade, que hoje chamamos de ESG – responsabilidade e governança ambiental e social. 

Veja três aspectos que devem ser levados em consideração na discussão do metaverso dentro do ESG:

#1 Como o Metaverso pode ser construído de forma ecologicamente sustentável?

Como ninguém sabe como será o metaverso e para qual finalidade ele será usado, ainda é difícil avaliar seus benefícios gerais. Será ele utilizado em favor da sociedade e do meio ambiente, como um novo campo para a indústria de entretenimento e jogos? Ou como um novo tipo de mercado virtual? 

No entanto, já é certo que a versão VR da internet aumentará enormemente o volume de dados coletados, transferidos, processados e armazenados.

O processamento e a transferência de dados não são isentos de problemas do ponto de vista ambiental, pois consomem grandes quantidades de eletricidade. A ETLA Economic Research estimou que o consumo de energia da indústria de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) pode aumentar para até 14% do consumo global anual de energia até 2030. 

A estimativa é baseada em cálculos usando tecnologias existentes – não leva em consideração o enorme aumento no volume de dados e consumo de energia que será exigido por quaisquer novas tecnologias (VR, AR, inteligência artificial, IoT, entre outros). 

Mudanças nos métodos operacionais e Economia Circular

O crescimento no volume de dados também exigirá velocidades de transferência e capacidades de rede cada vez mais altas. Além disso, serão necessárias novas tecnologias e um grande número de novos data centers.

Para entrar “dentro” do metaverso, os usuários precisarão de dispositivos digitais, como fones de ouvido ou pulseiras VR. Construir, fabricar e usar tudo isso exigirá energia e muitos recursos naturais, como metais e minérios de terras raras

A indústria de TIC compete por metais com outras indústrias. Os mesmos recursos naturais serão necessários para aumentar a capacidade de energia verde e o número de veículos elétricos. Não é certo que haverá eletricidade livre de emissões ou metais críticos suficientes para as crescentes necessidades da indústria de TIC, por exemplo. 

Para construir o metaverso de forma sustentável, manter-se dentro da capacidade de carga da Terra deve ser o ponto de partida para planejá-lo. Isso requer uma nova maneira de pensar e uma mudança abrangente nos métodos operacionais.

Seus blocos de construção são a economia circular, software sustentável e desenvolvimento de serviços, eficiência de recursos e escolhas de consumo sustentável. 

#2 Como o Metaverso pode ser construído de forma socialmente justa?

O acesso à Internet é um direito humano básico. Tanto os governos quanto as empresas precisam se esforçar para protegê-lo. Atualmente, apenas cerca de metade da população mundial tem essa possibilidade. 

Os desafios que surgem com um novo tipo de experiência do usuário devem ser levados em consideração na discussão do metaverso. Por exemplo, como garantir que todos possam usar os novos serviços, independentemente da localização e da riqueza? 

As empresas que fornecem o metaverso também provavelmente acumularão enormes volumes de dados sobre o comportamento de seus usuários na plataforma. O desenvolvimento envolve novas preocupações sociais e éticas. Por exemplo, é necessário considerar se a infraestrutura que é fundamental para o funcionamento da sociedade pode ser construída por empresas privadas. 

E o que acontecerá com a privacidade das pessoas quando nossa vida cotidiana se tornar cada vez mais digital? Já se fala muito globalmente sobre o impacto das grandes empresas de mídia social na democracia, a polarização do debate e a confiança das pessoas. 

Se a experiência do usuário for fortemente personalizada, podem surgir experiências muito diferentes da realidade. Um exemplo aparentemente trivial disso poderia ser a publicidade de rua. No futuro, ao passear com um amigo pela cidade, você e ele poderão ver anúncios diferentes. Eles nos convidarão para fazer compras ou oferecer manchetes personalizadas de notícias atuais. 

Tal segregação da realidade percebida poderia fortalecer cada vez mais os silos sociais. 

#3 Como as regras justas serão construídas para o Metaverso?

Como garantir que a vasta coleta de dados não causará danos imprevistos? O uso de dados e a Internet de última geração oferecem enormes oportunidades. Um problema na confiança poderia comprometer o enorme potencial iminente. 

A União Europeia (UE)  tem uma grande oportunidade de ser pioneira e decidir sobre as regras para o uso de dados de forma justa no futuro. Além disso, é necessário garantir que as empresas também cumpram a nova legislação e regras. Com o aumento na coleta de dados, os requisitos para relatórios transparentes também aumentarão. 

Alguns dos requisitos são derivados diretamente da legislação. No entanto, ainda há muito espaço para as organizações desenvolverem suas próprias melhores práticas de forma opcional.

Por exemplo, os negócios podem relatar seu uso responsável de dados com um balanço que indique os principais princípios e práticas da empresa em relação ao processamento e uso seguro de suas informações. No entanto, lamentavelmente poucas organizações até agora implantaram balanços de dados. 

A perspectiva da próxima onda de discussão sobre responsabilidade depois de questões ambientais envolverá tecnologia responsável e coleta de dados. Quando o debate se torna mais proeminente, é provável que os investidores também se interessem por ela. 

Portanto, a estrutura ESG deve ser considerada ao levar em conta o próximo estágio evolutivo da internet. Os desenvolvedores de novas tecnologias também devem fazer da responsabilidade uma vantagem competitiva. 

Leia mais: Classificações ESG: como as empresas são avaliadas? 

Categorias

SOLUÇÕES INTELIGENTES PARA RESULTADOS TRANSFORMADORES

Transformação digital para negócios que visam alta performance.

Recent Posts

Você conhece a Codex?

Inscreva-se em nossa newsletter

E receba conteúdos exclusivos diretamente
na sua caixa de entrada.